O Evangelho e Espiritismo

o Evangelho e Espiritismo

- explicando as máximas morais do Cristo segundo (conforme, em concordância com) o Espiritismo

- e suas aplicações às diversas circunstâncias da vida. Um mês depois (14/9/1863), em Paris (no seu retiro em Sainte Adresse), Kardec ouviria do mesmo espírito:

Com esta obra, o edifício começa a libertar-se dos andaimes e já se lhe pode ver a cúpula a desenhar­ se no horizonte.

Referia-se o espírito ao edifício doutrinário do Espiritismo, sua edificação no campo do pensamento humano.

Poderíamos dizer que:

A doutrina filosófica teria sido a planta, o projeto (a pro posta de idéias);

E a ciência experimental teria oferecido o fundamento nos fatos;

Mas a cúpula (ponto mais alto, coroamento), sua verdadeira finalidade, seu significado completo, somente aparece nitidamente nas conseqüências morais que O Evangelho segundo o Espiritismo evidencia.

As conseqüências morais do Espiritismo

… 0 Espiritismo não traz moral diferente da de Jesus. (O Livro dos Médiuns, “Conclusão” VIII)

A moral que os Espíritos ensinam é a do Cristo, pela razão de que não há outra melhor. (A Gênese, Cap. 1,56)

Se os ensinos morais de Jesus já estão no Evangelho, por que repetirem os espíritos tudo de novo?

Nem todos a conhecem, nem todos a entendem. Nem todos a praticam, mesmo aqueles que a ensinam.

Deixe um comentário