Espiritismo, a Doutrina e o Movimento – continuação

O FIM PRECÍPUO

O OBJETIVO PRIMORDIAL DO ESPIRITISMO

Há duas partes no Espiritismo: a dos fatos materiais e a de suas conseqüências morais.

A primeira é necessária como prova da existência dos espíritos, por isso é que os Espíritos começaram por ela.

A segunda, que decorre da primeira, é a única capaz e conduzir à transformação da humanidade, pelo melho­ ramento do indivíduo.

O melhoramento é, pois, o fim essencial do Espiritismo. (“O Espiritismo Independente”. RE abril/1866)

Evangelho e Espiritismo

Não esqueçais que o fim essencial, exclusivo do Espi­ ritismo, é a vossa melhora e que, para o alcançardes, é que os Espíritos têm permissão de vos iniciarem na vida futura, oferecendo- vos dela exemplos de que podeis apro­ veitar. (O Livro dos Médiuns, Capo XXVI, 292, 22ª)

Porque o fim do Espiritismo é tornar melhores aque­ les que o compreendem. (Discurso de encerramento do ano social 1858/59, na Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas. RE julho/1858)

Espiritismo, a Doutrina e o Mo .

O Espiritismo tal qual ele é aproxima-se a hora em que terás de apresentar o Espi­ ritismo tal qual ele é, prossegue o espírito.

Em O Livro dos Espíritos, o Espiritismo foi apresentado como filosofia espiritualista.

Enfeixa a coordenação dos ensinos dos espíritos, os princípios da Doutrina Espírita: Deus, a criação, os espíritos (sua origem, natureza, destinação e relações com os homens) e as leis morais, a vida presente e a futura, o porvir da Huma­ nidade.

Em O Livro dos Médiuns, temos o Espiritismo experimental.

Trata da mediunidade: meio de comunicação com o mundo invisível; como exercitar essa faculdade, dificuldades e vantagens em sua prática; teoria de todos os gêneros de ma­ nifestações; perispírito e ação dos espíritos sobre os fluidos, como chave para o entendimento de muitos fenômenos que de outro modo seriam inexplicáveis.

Já haviam sido apresentados, portanto, os aspectos de fi­ losofia espiritualista e de ciência experimental do Espiritis­ mo.

No novo livro, Kardec teria de apresentar o Espiritismo tal qual ele é.

Como será mesmo o Espiritismo? Como poderia Kardec apresentá-Ia na sua realidade?

( … ) mostrando a todos onde se encontra a verda­ deira doutrina ensinada pelo Cristo.

O Evangelho segundo o Espiritismo é o título do novo livro.

Será um novo Evangelho? Um Evangelho espírita? Trata-se dos mesmos relatos que já conhecemos no Novo Testamento mas:

Deixe um comentário